Técnica de Feulgen.

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF
Digestão e coloração dos ápices
• Os ápices radiculares fixados foram lavados com água destilada retirando, depois, o excesso com papel de filtro. Seguidamente procedeu-se à hidrólise em ácido clorídrico 1N, à temperatura de 60º C durante 15 a 20 minutos. O material foi incubado na solução de HCl, previamente aquecida em banho de areia. Coraram-se os ápices com reagente de Schiff (dissolver 1g de fucsina básica em 100 ml de água destilada a 100ºC. Adicionar 0,3 ml de ácido clorídrico e 3g de metabissulfito de potássio. Adicionar 4,5g de carvão vegetal em pó), na ausência de luz, durante 15-20 minutos, até o ápice se apresentar corado. As raízes coradas foram conservadas numa solução aquosa de etanol a 70% (v/v) a – 20ºC

Realização dos esfregaços
• Os ápices foram destacados das radículas e colocados numa gota de ácido acético 45% (v/v – solução aquosa) entre lâmina e lamela. Seguidamente, procedeu-se à desagregação da estrutura do ápice exercendo-se pancadas secas e verticais sobre a lamela com auxílio de um palito. A lamela é posteriormente pressionada, suavemente com a ajuda de papel de filtro, para se absorver o excesso de ácido e para a individualização completa das células. Procedeu-se à remoção das lamelas dos esfregaços, fazendo incidir CO2 na face da lâmina oposta à lamela, durante cerca de 30 segundos, removendo imediatamente a lamela com o auxílio de uma lâmina de barbear e deixando o esfregaço secar ao ar.








 

Pesquisar